A primeira vista, parece que os nossos sentimentos são óbvios:
uma reflexão mais demorada nos mostra que exageramos na indiferença do que sentimos sobre determinada coisa, ou despertamos para estes sentimentos tarde demais.

A auto-observação permite exatamente a consciência equilibrada
de sentimentos impulsivos ou turbulentos. É a diferença entre,
sentir uma fúria assassina contra alguém ou ter o pensamento
auto-reflexivo: “O que eu estou sentindo? É raiva”, mesmo
quando se está furioso.

Autoconsciência, em suma, significa estar “consciente ao mesmo tempo de nosso estado de espírito e de nossos pensamentos sobre esse estado de espírito”.

A clareza com que sentimos estas emoções nos traz uma boa perspectiva da vida, ou seja, ter uma boa saúde psicológica.